O  Brasil parou para pensar na água de 17 a 23 de março. Durante o 8º Fórum Mundial da Água, Brasília recebeu especialistas, autoridades e cidadãos de mais de 170 nações. O tema pautou a agenda dos governos, as ações das empresas e a fala da sociedade. Na cerimônia de encerramento, realizada nesta sexta-feira, Senegal recebeu a bandeira do Conselho Mundial da Água como país-sede do 9º Fórum.

Mansour Faye, ministro de Recursos Hídricos e Saneamento do Senegal, elogiou a oitava edição do evento. "Os resultados do Fórum em Brasília nos ensinam que o compartilhamento da água requer mecanismos apropriados de cooperação para construir um mundo de paz e estabilidade em torno das bacias e aquíferos compartilhados", disse.

Mais de 100 mil pessoas participaram das atividades do maior encontro de água do planeta, que teve como tema "Compartilhando Água". O participantes lotaram o Estádio Nacional Mané Garrincha e o Centro de Convenções Ulyses Guimarães. 

Em 2021, Dakar, capital do Senegal, será anfitriã da nona edição desse megaevento.  Após receber a bandeira do Conselho Mundial da Água, Faye falou que assumir essa responsabilidade simboliza um retorno às matrizes africanas, "o berço da humanidade".  

Faye adiantou um pouco do que o público pode esperar de Dakar daqui a três anos. De acordo com ele, o continente estará voltado para trabalhar em quatro eixos: segurança hídrica, cooperação, inovação e água para o mundo rural. O objetivo é chamar atenção para aspectos de gestão e participação da sociedade para garantir a disponibilidade hídrica a longo prazo.

"A partir de hoje, o Senegal apresentará e defenderá a iniciativa de Dakar 2021 como um catalisador para o acesso universal à água e ao saneamento. Um componente importante do Fórum também estará relacionado aos programas de acompanhamento, com o objetivo de ter resultados tangíveis durante o evento", pontuou.

A comunicação do 8º Fórum também conversou com Abdoulaye Sene, presidente do comitê do 9º Fórum Mundial da Água. Confira  entrevista:

8º Fórum: O que podemos esperar do 9º Fórum Mundial da Água, em Dakar, no Senegal?

Abdoulaye Sene: Queremos um 9º Fórum Mundial da Água eficiente, muito popular e com respostas concretas para o problema que a África está passando em relação aos desafios da água. Esperamos que todo o mundo, inclusive os governos, estejam em Dakar para colocar a água no topo da agenda porque a água é a conexão para todas a soluções para a paz e para o desenvolvimento.

8º Fórum: No Brasil, o tema foi  Compartilhando Água. No Senegal, qual será o tema abordado?

 Abdoulaye Sene: Segurança hídrica para a paz e para o desenvolvimento será o tema da nona edição, em 2021. Acredito que os debates darão ênfase à questão da água como elemento essencial  e precisamos todos andar de forma solidária e cooperativa para construir compromissos globais para resolver os problemas da água, da forma mais breve possível em todo o mundo.

8º Fórum: O que lhe chamou mais atenção no 8º Fórum Mundial da Água?

Abdoulaye Sene: A Vila Cidadã foi o que mais me chamou atenção. Foi uma inovação muito boa e nós vamos avaliar um meio de construir esta experiência em Dakar, uma espécie de vitrine de ações de todo o mundo, colocando todos os cidadãos nesse processo.