Brasil sedia maior edição do Fórum Mundial da Água e cumpre objetivos

O 8º Fórum Mundial da Água, realizado na cidade de Brasília, já é a maior edição da história do evento e atendeu ao seu principal objetivo, que é colocar a água no topo da agenda política e da sociedade.

Após sete dias de evento, o Fórum havia recebido 120,2 mil pessoas de 172 países diferentes. Destas, 109,6 mil visitaram a Vila Cidadã e a Feira; e 10,6 mil são congressistas que participaram das mais de 300 sessões do Centro de Convenções Ulysses Guimarães e visitaram a Expo.

A abertura contou com a presença de 12 chefes de Estado, governo e altas autoridades internacionais e o evento teve a participação de  representantes de importantes organismos internacionais, como a Organização das Nações Unidas e suas agências, União Europeia, Banco Mundial, BID, CPLP, OCDE entre outros.

O Fórum Mundial da Água teve, nesta 8ª edição, uma importante inovação: a participação do Poder Judiciário, instância a que cabe a decisão final sobre disputas envolvendo os recursos hídricos. A Conferência de Juízes e Promotores teve a presença de 83 juízes, promotores e especialistas de 57 países e emitiu como documento final a “Carta de Brasília”.

O Instituto Global do Ministério Público, que reúne membros de ministérios públicos de diversas nações do mundo em torno de temas ligados à proteção dos recursos naturais, também elaborou a “Declaração do Ministério Público sobre o Direito à Água”, que foi assinada por nove países.

Na Conferência Parlamentar, 134 parlamentares de 20 nações produziram como documento final o “Manifesto dos Parlamentares”, em que reconhecem a importância do esforço dos parlamentares para garantir segurança hídrica, universalização do acesso a água potável, eliminação das desigualdades e promoção do desenvolvimento sustentável.

A Conferência de Ministros contou com 56 ministros e 14 vice-ministros de 56 países, que aprovaram a declaração intitulada “Chamado urgente para uma ação decisiva sobre a água”, fruto das discussões entre ministros e chefes de delegação de mais de 100 países. O documento estabelece ações prioritárias para enfrentar os desafios relacionados ao acesso à água e ao saneamento.

Autoridades locais e regionais lançaram o “Chamado para Ação de Governos Locais e Regionais sobre Água e Saneamento de Brasília”. A conferência teve a participação de 150 prefeitos, governadores e deputados estaduais, que pretendem adotar uma visão compartilhada para um futuro melhor e mais sustentável, no qual todas as pessoas terão acesso à água e saneamento, e em que a água seja usada e gerida de forma a assegurar-se um ambiente saudável e sustentável para as gerações futuras.

O Processo Regional contou com a participação de cerca de 330 painelistas, relatores e moderadores de 101 países e 6.765 espectadores. Inovou ao oferecer aos participantes os relatórios regionais pré-Fórum, em inglês e português. Além disso, os Coordenadores regionais e a Comissão do Processo Regional produziu uma Mensagem  endereçada ao Fórum e à toda a Sociedade realçando a importância de ampliação de investimentos em água e saneamento para que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável relacionados à água sejam atingidos. Confira os destaques do processo na cerimônia de encerramento.

Os debates do Processo Temático contaram com 95 sessões, coordenadas por 430 organizações. Foram discutidos objetivos para serem levados ao Senegal em 2021 e metas até 2030 envolvendo os temas Clima, Pessoas, Desenvolvimento, Urbano, Ecossistemas, Finanças, Compartilhamento, Capacitação e Governança. Foram destacados, entre outros aspectos, a água como um direito humano para a vida, investimentos em tecnologia e em segurança hídrica, ações de adaptação tendo em vista as mudanças do clima, uso da água na agricultura e o consumo de energia. Confira os destaques do processo na cerimônia de encerramento.

O Processo Fórum Cidadão mobilizou 10,5 mil pessoas e 525 instituições de todo o mundo. Como legado, foi elaborado o documento intitulado 10 Princípios, que passam a fazer parte dos debates do Fórum Cidadão de agora em diante. Foram enfatizados aspectos da água ligados à gestão, ao acesso, à qualidade, à gestão compartilhada, à participação social, à conservação dos ecossitemas, entre outros. Confira os destaques do processo na cerimônia de encerramento.

O Grupo Focal de Sustentabilidade trouxe à tona debates voltados para o uso de técnicas, políticas e articulações regionais com foco no uso racional da água. Durante o Fórum, foi elaborada a Declaração de Sustentabilidade, que fez um chamado pela mobilização de todas as partes para garantir um futuro sustentável para o planeta e pelo compromisso de enfrentar os crescentes desafios das questões relacionadas à água. Além disso, foi firmado o Compromisso Empresarial Brasileiro para a Segurança Hídrica. A ideia é que empresas tenham papel indutor de boas práticas no desenvolvimento socioeconômico do país, ampliando ações sustentáveis nos processos produtivos. Confira os destaques do processo na cerimônia de encerramento.

A Expo e a Feira do 8º Fórum Mundial da Água contaram com 87 expositores que representaram diferentes setores sociais: pavilhões nacionais, empresas públicas e privadas, organizações e associações da sociedade civil.

O 8º Fórum ocupou também outros espaços da cidade, com atividades esportivas e culturais na orla do lago Paranoá, mostra de cinema no Cine Brasília e atividades ligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável no Planetário.

Nunca se falou tanto sobre água no país. Durante a semana do evento, houve quase 16 mil menções na imprensa escrita e uma ampla cobertura de rádios e TVs, levando o assunto água para a casa das pessoas.

Educar, conscientizar e divertir foi o objetivo maior da Vila Cidadã, um sucesso absoluto de público. O espaço ofereceu uma ampla agenda de atividades diariamente para dezenas escolas de todo o Distrito Federal, além de crianças, jovens e famílias que se encantaram com as atividades interativas, as experiências de realidade virtual, oficinas e filmes. O Green Nation, que ocupou uma área de 2.700 m² na Vila, recebeu 60 mil visitantes durante os sete dias do evento.

A Vila Cidadã também foi palco de importantes debates sobre crise hídrica, saneamento e gestão participativa de águas, e abriu sua arena para a participação de grupos de jovens, mulheres, indígenas, organizações não governamentais e comunidades rurais.

O 8º Fórum Mundial da Água também ajudou a movimentar a economia local. Foram cerca de 2500 empregos diretos e outros 5500 indiretos.

O alto engajamento dos participantes e visitantes realmente fez da cidade de Brasília a capital mundial da água durante esta semana. O 8º Fórum Mundial da Água agradece a todos os que participaram e contribuíram para o sucesso deste evento e para que as questões relativas à água pudessem ganhar a relevância que merecem no âmbito do debate público e político no Brasil e no mundo.

8º Fórum Mundial da Água

O 8º Fórum Mundial da Água foi organizado no Brasil pelo Conselho Mundial da Água (WWC), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), representado pela Agência Nacional de Águas (ANA), e pelo Governo do Distrito Federal, representado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) é integrante do Comitê Organizador Nacional (CON).

O evento foi patrocinado por: Petrobras, Funasa, Caixa, Fundação Banco do Brasil, Eletrobrás, Sabesp, Coca-Cola, AMA (Ambev), BNDES, Itaipu Binacional e BRK Ambiental. O Banco do Brasil é um dos apoiadores.

As sete edições anteriores foram realizadas em Marrakesh (Marrocos, 1997), Haia (Holanda, 2000), Kyoto (Japão, 2003), Cidade do México (México, 2006), Istambul (Turquia, 2009), Marselha (França, 2012) e Gyeongju e Daegu (Coreia do Sul, 2015).



*Atualizado em 10/04/2018 às 15:34.